Eduardo Shinyashiki – Um mestre na sensibilidade e na inteligência do amor. Edu utiliza de serenidade para manter o encontro em um grande alto astral.

1)A vida não deixa “queimar etapas”. Quando você se sente bloqueado diante de algo, a tendência é tentar criar atalhos que na verdade é se enganar! De fato tudo isso acontece para vc ter um aprendizado de autoconsciência de como reconhecer o seu limite, mas principalmente, como ir além desse limite.
É importante consolidar cada experiência até que se transforme em aprendizado.

2)Os momentos grandiosos da vida são aqueles que a gente se despoja de qualquer ideia, referência e até ego e nos abrimos para ouvir, desprendido no “meu” e do “seu”. É nesse momento que se cria algo novo que é o “nós”. Isso nasce dessa coisa “do amor”, dessa “ausência de morte”, pois é um compromisso, um convite à vida. Isso nos leva a reflexões sobre os limites que nos impomos, que é a “não vida”, a “não realização”. O simples não é menos poderoso. O simples pode ser intenso e até transformador.

3)Tentamos responder “quem sou eu” a partir do que eu faço e não do que meus movimentos e minhas escolhas tem de significado para mim. Quando isso não ocorre, leva a pessoa a se apegar as experiências e sentimentos passados, ou seja, vive “com ressentimentos”. Por isso, devemos nos desapegar de sentimentos e seguir adiante sem ressentimentos.

Deixe um comentário

Seu email não sera publicado.Campos Obrigatórios *

Café Insights © 2016